World Café

A metodologia do world café (literalmente café mundial) tem algumas diretrizes, mas é bastante flexível. A seguir apresentamos uma leitura/proposta baseada na metodologia:

  • Transformar os temas da pauta em perguntas, para estimular a participação;
  • Distribuir as perguntas em mesas;
  • Cada mesa terá um meio de registro (geralmente algo como algumas cartolinas e canetões);
  • Cada participante também terá algum meio de anotação (papel, post-it, caderno e caneta)
  • Os participantes se encaminham livremente para as mesas que lhes interessar;
  • Durante uma rodada debatem o tema da mesa em que estiverem, sintetizando as propostas que surgirem;
  • Ao fim de cada cada rodada, todos trocam de mesa, desde que pelo menos uma pessoa de cada mesa nela permaneça como anfitrião do próximo grupo;
  • No início da rodada seguinte, os facilitadores/anfitriões apresentam brevemente aos novos participantes de sua mesa o que fora desenvolvido até alí e os novos participantes comentam sobre a mesa da qual vieram. Então todos debatem o tema da mesa atual;
  • Na terceira rodada os participantes podem seguir trocando de mesa ou voltarem à mesa inicial, de acordo com seus interesses;
  • Ao fim das rodadas, as cartolinas podem ser expostas em um mural para que os participantes circulem livremente pelas anotações, acrescentando ainda o que lhes parecer importante;
  • Todos voltam à Assembléia e os anfitriões apresentam as sínteses  na plenária final;
  • Pode-se reservar um tempo para considerações sobre o resultado geral.

Há um documento muito didático e inspirador, que indicamos a leitura à quem interessar: http://www.theworldcafe.com/translations/World_Cafe_Para_Viagem.pdf

Ahô!

Sobre Bruno Franques

Bruno Franques é sociólogo, bacharel em Ciências Sociais pela USP. Mestrando em Educação, Comunidade e Movimentos Sociais na UFSCar Sorocaba. Cursou também Comunicação Social e Educomunicação. Colaborador do Instituto Physis (institutophysis.wordpress.com), é membro da Rede de Facilitadores de Fóruns Locais (forunslocais.net); do Grupo de Facilitadores do Fórum dos Povos (forumdospovos.net); do Fórum Social São Paulo (forumsocialsp.org.br); do Fórum Social Sorocaba (forumsocialsorocaba.org.br); do Coletivo Coolmeia SP (coolmeia.org); do Grupo de Articulação Regional da Feira de Orgânicos de Sorocaba (garfos.org.br), do Núcleo de Educação Infantil Jardim do Livre Sonhar (livresonhar.org.br), do programa de televisão Diálogos Comunitários (dcufscar.wordpress.com), da Campanha Nacional Contra os Agrotóxicos e pela Vida (contraosagrotoxicos.org) e da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares (brasilcontrausinanuclear.com.br). Pesquisador vinculado ao Grupo de Pesquisa em Educação, Comunidade e Movimentos Sociais, da UFSCar Sorocaba (comov.wordpress.com) e ao Grupo de Pesquisa em Comunicação e Movimentos Sociais (GPCOMS). Articulador regional da Rede SANS – Rede de Defesa e Promoção da Alimentação Saudável, Adequada e Solidária (redesans.com.br).
Esta entrada foi publicada em Facilitação. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>